Entrada > Notícias > Modo Operativo AND por Ana Dinger

Modo Operativo AND por Ana Dinger

ESE

Quando

17 > 17.12.2019 · 14:20 > 16:20

Onde

ESE — P. Porto

Adicionar evento ao calendário

MO_AND


O Modo Operativo AND (MO_AND) consiste numa ética do Re-parar, da Reparagem e da Reparação, sistematizada num conjunto de ferramentas-conceito e de proposições-jogo que, ao mesmo tempo, propõe e propicia:
 
  • a investigação directa e experiencial dos funcionamentos do Acontecimento e da Relação;
  • a explicitação dos modos de emergência e de sustentação de acontecimentos comuns metaestáveis;
  • a sensibilização às condições de possibilidade contingentes-impermanentes de cada encontro e às consequências políticas dos posicionamentos individuais e/ou colectivos;
  • a afinação das capacidades de distribuição não-hierárquica da atenção e de (re)inventário trajectivo do possível, simultaneamente no plano da auto-observação em acto e no plano do mapeamento da situação envolvente;
  • o treino da disponibilidade à diferença e ao acidente/imprevisto, da comparência atempada, da tomada de decisão situada e da colaboração dissensual;
  • a transferência de protagonismo do sujeito para o acontecimento, ou seja, a prática co-passionada da presença;
  • o exercício de uma equiparação consistente entre autocuidado e cuidado do entorno e entre o discurso proferido e a sua efectuação no fazer;
  • a frequentação exploratória de disposições subjectivas e relacionais dissidentes para a performance íntima e social dos afectos, numa pesquisa de alternativas aos modelos identitários e aos scripts pré-definidos e hierarquizados.
 
 
Este sistema, concebido e desdobrado pela antropóloga e artista Fernanda Eugenio, é uma investigação viva e aberta, em constante transmutação e a partir de uma confrontação deliberada e insistente com o uso e com a prática.
 
Ao longo de mais de quinze anos dedicados a esta pesquisa, Fernanda Eugenio designou-a de diferentes modos, até à estabilização no nome Modo Operativo AND. O seu carácter distintivo reside sobretudo na força, na consistência e na singularidade do arcabouço conceptual original por ela entretanto desenvolvido, que conforma o vocabulário performativo pelo qual o MO_AND é reconhecido.
  
 
 

Autor

gestorese@gestor.pt

Partilhar