Entrada > Notícias > Um de Nós | Diana Kruma

Um de Nós | Diana Kruma

ESE

Natural de Liepāja, Letónia, Diana Kruma estabeleceu-se no Porto em 2007 e em 2011 juntou-se à família ESE, escola de Educação do Politécnico do Porto


Tudo começou através do programa Erasmus em 2004/05 na Universidade do Porto: a mobilidade de estudos, que era suposto durar um semestre letivo, se transformou num ano inteiro, e depois foram já os laços afetivos que a fizeram regressar dois anos mais tarde.

QUANDO COMEÇOU A SUA LIGAÇÃO À ESCOLA?
Entrei para a ESE em outubro de 2011, há 8 anos.

COMO RECORDA OS PRIMEIROS TEMPOS?
Como um período de adaptação - vinha de meandros completamente diferentes, do setor privado, não estava habituada aos processos e procedimentos que são característicos na função pública.  

 O QUE TORNA O SEU TRABALHO ESPECIAL? 
A diversidade, tanto de assuntos como de pessoas.

O QUE TORNA ESTA ESCOLA ÚNICA? 
Dada a sua dimensão relativamente pequena, há um toque muito mais pessoal em tudo o que acontece e em tudo o que fazemos. Há uma maior proximidade entre os intervenientes de cada processo.

O QUE MAIS MUDOU NESTES ANOS? 
A evolução tecnológica, as plataformas de gestão, a forma de comunicação e também a projeção da escola na dimensão internacional. 

CONTE-NOS UM EPISÓDIO MARCANTE
Foi em 2017, quando a ESE organizou a conferência ICRE- International Conference on Research in Education. Foi um marco de crescimento para o nosso centro de investigação inED e uma prova da nossa capacidade de rigor científico e competência organizacional.

UMA IDEIA PARA O FUTURO
Gostaria de ver a Escola sempre a evoluir, tornando-se num local mais dinâmico, mais global. Temos a responsabilidade de formar os futuros professores, de preparar os jovens profissionais para os desafios de amanhã, e isso não acontece com os métodos de ontem nem num contexto fechado sobre si mesmo.

 

 


A rubrica  
Um de Nós representa um espaço de partilha de experiências, ideias, histórias, e projetos, com uma breve entrevista a estudantes, docentes e não-docentes. É nossa convicção que cada Escola guarda — nos seus bastidores, salas, corredores e gabinetes — muitos rostos e talentos.  Queremos ser a voz de cada um de nós porque as grandes histórias por vezes estão mais próximas do que imaginamos

Autor

gestorese@gestor.pt

Partilhar